20
jan
12

Estamos de volta – e por uma boa causa.

Vivemos em um país onde as principais preocupações do momento são a viagem da Luiza para o Canadá e polêmicas de Big Brother. Porém existem coisas muito mais importantes acontecendo por aí, e por isso estamos de volta.

Dois anos e meio depois do último post, Mauditos está é ativado novamente. Para que não acompanhou o blog, durante um curto período de tempo ele serviu como entretenimento, com pouquíssimas (ou nenhuma) pretensões, apenas uma galera com gostos em comum escrevendo sobre o que gostava. Desativado principalmente por falta de tempo, faço questão agora de voltar a usar esse espaço para falar sobre algo que considero importantíssimo.

Nos últimos dias, além dos assuntos citados lá no início do post, outro tem sido muito comentado na rede: as leis anti-pirataria que estão em vias de serem aprovadas nos Estados Unidos. Ao invés de tentar explicá-las e dar minha opinião sobre todo o assunto, prefiro apenas manter um serviço de “utilidade pública” traduzindo uma carta publicada pelo The Pirate Bay, um dos principais sites de compartilhamento de arquivos da atualidade:

 

INTERNET, 18 de Janeiro de 2012.

Há mais de um século Thomas Edison patenteou um dispositivo que “faria para o olho aquilo que o fonógrafo faz para os ouvidos”. Ele chamou de cinetoscópio. Ele não foi apenas um dos primeiros a gravar imagens em movimento, mas também um dos primeiros a deter os direitos autorais sobre um filme.

Devido as patentes de Edison sobre os filmes, era praticamente impossível financeiramente criar filmes no norte da costa leste americana. Os estúdios cinematográficos mudaram-se então para a Califórnia, e fundaram o que hoje conhecemos como Hollywood. O motivo era porque basicamente não haviam patentes lá. Também não se falava em direito autoral, então os estúdios puderam copiar histórias antigas e fazer filmes com elas – como Fantasia, um dos maiores filmes da história da Disney.

Então, toda a base dessa indústria, que hoje está gritando sobre perder o controle sobre direitos não materiais, está no fato deles terem contornado esses direitos. Eles copiaram (ou usando  terminologia deles: “roubaram”) os trabalhos criativos de outras pessoas, sem pagar por isso. Eles fizeram isso para obter um lucro imenso. Hoje, eles são todos bem sucedidos e muitos estão na lista das 500 empresas mais ricas do mundo. Parabéns – tudo isso foi baseado na possibilidade de reutilizar os trabalhos criativos de outras pessoas. E hoje eles controlam os direitos daquilo que os outros podem criar. Se você que lançar alguma coisa, deve obedecer as regras deles. As regras que eles criaram depois de terem driblado as regras de outras pessoas.

A razão pela qual eles estão sempre reclamando sobre “piratas” hoje é simples: Nós fizemos aquilo que eles fizeram. Nós driblamos as regras que eles criaram e criamos as nossas próprias. Nós destruímos o monopólio deles ao oferecer as pessoas algo mais eficiente. Nós permitimos a comunicação direta entre as pessoas, contornando o intermediário que lucrava com isso. Está tudo baseado no fato de que somos competidores. Nós provamos que a existência deles em sua forma atual não é mais necessária. Nós apenas somos melhores que eles.

E a parte engraçada é que nossas regras são bem parecidas com as ideias que ajudaram a fundar os Estados Unidos. Nós lutamos pela liberdade de expressão. Nós vemos todas as pessoas como iguais. Nós acreditamos que  o povo, não a elite, deve governar a nação. Nós acreditamos que leis devem ser criadas para servir à população, não às corporações.

O Pirate Bay é verdadeiramente uma comunidade internacional. A equipe está espalhada por todo o planeta – mas nos permanecemos fora dos EUA. Nós temos raízes suecas e um amigo sueco nos disse o seguinte: a palavra SOPA significa “lixo” em sueco. A palavra PIPA significa “cano” em sueco. Isso, claro, não é uma coincidência. Eles querem transformar a internet em um cano de via única, com eles no topo, jogando lixo através do cano até nós, consumidores obedientes. A opinião pública a respeito disso está clara. Pergunte a qualquer um na rua e você irá aprender que ninguém quer ser alimentado com lixo. Porque o governo norte americano quer que o povo norte americano seja alimentado com esse lixo está além da nossa imaginação, mas esperamos que você acabe com isso, antes que estejamos todos afogados.

Não há nada que SOPA possa fazer que pare com The Pirate Bay. Na pior das hipóteses, trocaremos o nosso domínio de .org para algum outro das centenas de nomes que também usamos. Nos países em que The Pirate Bay é bloqueado, China e Arábia Saudita vêm à mente, eles bloqueiam centenas de nossos nomes de domínios. E funcionou? Na realidade, não. Para corrigir o problema da “pirataria”, deve-se ir à fonte do problema. A indústria do entretenimento diz que está criando “cultura” mas o que eles realmente estão fazendo são coisas como vender bonecos de pelúcia superfaturados e fazendo com que garotas de 11 anos virem anoréxicas. Seja por trabalharem praticamente de graça nas fábricas que produzem as bonecas ou por assistirem filmes e programas de TV que fazem com que elas pensem que são gordas.

No grande jogo Civilization de Sid Meier você pode construir maravilhas do mundo. Uma das mais poderosas delas é Hollywood. Com ela você controla toda a cultura e a mídia do mundo. Rupert Murdoch estava feliz com o MySpace e não tinha problemas com a sua própria pirataria até que ela falhou. Agora ele reclama que o Google é a principal fonte de pirataria do mundo – porque ele tem ciúmes. Ele quer manter o seu controle da mente das pessoas e obviamente você ganha uma visão mais honesta das coisas na Wikipedia do que na Fox News.

Alguns fatos (anos, datas) neste texto estão provavelmente errados. O motivo é que não podemos acessar essa informação enquanto a Wikipedia está em blecaute. Por causa da pressão de nossos competidores. Pedimos desculpas por isso.

The Pirate Bay, 2012.

 

Aproveito também, para postar o vídeo do grupo Anonymus, com legendas em português:

 

 

 

ps.: esse post não significa um retorno permanente do Mauditos. Apenas mostra que podemos usar o NOSSO espaço na internet para defender qualquer ideia que tenhamos vontade.

Anúncios

0 Responses to “Estamos de volta – e por uma boa causa.”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Baú

Parceiros

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui! LinkLog Uêba - Os Melhores Links Colmeia: O melhor dos blogs


%d blogueiros gostam disto: